Notícias

Para FAO, importação de carnes em nível mundial aumenta perto de 5% em 2019

Nas projeções do Food Outlook 2019 da FAO, as importações mundiais de carnes devem experimentar aumento superior a 1,5 milhão de toneladas no corrente exercício, volume que representa incremento de quase 5% em relação a 2018.

Naturalmente, quem puxa a fila é a China, tradicionalmente o maior importador mundial de carnes. Mas em 2019, para suprir a lacuna causada pela Peste Suína Africana, as importações chinesas devem registrar aumento excepcional. A FAO, nas atuais projeções, prevê que esse aumento ficará próximo de 20%.

Correspondendo a 19% das importações mundiais, as importações chinesas estarão centradas na carne suína (cerca de 40% do total), mas implicam também em um elevado volume de carne bovina (37,5%). Ou seja: a menor importação (pouco mais de 22,5% do total) irá recair sobre a carne. Mesmo assim, será um volume representativo, já que próximo de 1,4 milhão de toneladas.

No tocante às importações mundiais previstas (13,880 milhões de toneladas), a maior parcela (38,7% do total previsto, quase 13,1 milhões de toneladas) será de carne de frango. Na sequência, com 10,6 milhões de toneladas, vem a carne bovina (31,3%). Assim, as importações de carne suína estarão resumidas a 26,4% do total importado mundialmente, fatia que corresponde a, quase, 8,950 milhões de toneladas (está inclusa ainda no processo
a carne ovina – 3,6% do total ou 1,235 milhão de toneladas).